NOTÍCIAS 

 

08/03/2020

 

Prezado (a) beneficiário (a),

 

Comunicamos que foram identificadas inconsistências na geração do Comprovante Anual de Retenção de Despesas Médicas (DMED) dos beneficiários da AMS, registrando valores incorretos no Informe de Rendimentos (DIRF).

 

A Petrobras já está atuando na retificação dos demonstrativos e a previsão é que até a próxima segunda-feira (09/03) os comprovantes já estejam disponíveis com os valores corrigidos.

 

Informamos também que, como o erro foi identificado com antecedência, os nossos beneficiários irão receber os documentos com os cálculos corretos em seus respectivos endereços cadastrados.

 

Para mais informações sobre o Imposto de Renda, contate a nossa Central de Relacionamento durante horário comercial (0800 287 2267 -> opção 3) ou acesse AQUI o nosso documento de perguntas e respostas.

 

Agradecemos a compreensão de todos!

 

Fonte: AMS Petrobras

05/03/2020

06/03/2020

Desde o dia 21 de fevereiro, estão disponíveis para consulta na Área do Participante, no Portal Petros, a proposta de alteração do regulamento do PPSP-R e do PPSP-NR e o quadro comparativo entre as atuais e as novas regras dos planos em função do Novo PED e da reestruturação dos dois planos. Basta clicar no banner que aparece no alto da área restrita para acessar os documentos. Pela legislação, a proposta de alteração do regulamento e o quadro comparativo devem ficar disponíveis por 30 dias e é fundamental que os participantes conheçam o conteúdo.

Paralelamente, durante este período, patrocinadores; Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), órgão supervisor da Petrobras; e Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), que fiscaliza o setor, seguem com os trâmites de aprovação das mudanças no PPSP-R e no PPSP-NR - que incluem o Novo PED e a reestruturação dos dois planos. As mudanças entrarão em vigor no dia em que a aprovação da Previc for publicada no Diário Oficial da União.

Para saber mais, clique aqui e acesse o hotsite do Novo PED.

 

Fonte: Petros

04/03/2020

03/03/2020

 

Cerca de 43 mil participantes ficaram sem pagar o PED-2015 durante algum período em função de decisões judiciais. O montante que deixou de ser arrecadado para o plano por causa das liminares será cobrado, corrigido pela meta atuarial. E, para minimizar o impacto da cobrança, os participantes que não pagaram o PED-2015 por decisão liminar poderão escolher como quitar o valor em aberto: parcelamento pelo período correspondente à expectativa de vida, parcelamento pelo tempo em que ficou sem fazer a contribuição extra multiplicado por até dez vezes ou à vista. O início da cobrança está previsto para ocorrer logo após a implantação do Novo PED e a cobrança das parcelas devidas deve começar em maio.

A opção padrão será pela expectativa de vida, que é o prazo máximo permitido para o parcelamento. Assim, quem não se manifestar sobre a forma de pagamento terá a dívida automaticamente parcelada pelo número de meses calculado pela Petros como expectativa de vida do participante.

O parcelamento terá prestações fixas com valor mínimo de R$ 50 mensais e incluirá um valor que vai para um fundo de quitação por morte. O fundo funciona como um seguro, para garantir que não haja prejuízo para o plano nem para os participantes que pagaram o PED-2015 sem interrupções.

O objetivo do parcelamento é permitir que quem deixou de pagar possa escolher como prefere fazer, reduzindo o impacto deste custo sobre seu orçamento mensal. Também possibilita que todos os que não pagaram ajustem suas contas com o plano, além de não prejudicar quem sempre pagou o PED-2015.

Saiba mais sobre as opções de pagamento

Expectativa de vida do participante

Esta é a opção padrão. O participante poderá quitar sua dívida em relação ao PED-2015 durante o período calculado como expectativa de vida, considerando a tábua atuarial do plano. A prestação inclui um valor destinado ao fundo de quitação por morte para que, em caso de falecimento, a dívida não fique para o plano.

Até dez vezes o tempo sem pagamento do PED-2015

O participante poderá optar por ajustar as contas referentes ao PED-2015 em até dez vezes o número de meses que ficou sem pagar o equacionamento por força de decisão judicial — este tempo é limitado à expectativa de vida do participante. Ou seja, quem ficou dez meses sem pagar, poderia fazer o pagamento em até 100 meses. Mas, se a expectativa de vida calculada for de 90 meses, o pagamento precisará ser feito dentro deste prazo de 90 meses. O participante também poderá pagar em menos tempo, escolhendo um dos múltiplos do total de meses que ficou sem fazer as contribuições extras.

Nesta opção, a dívida é corrigida até a data do início do pagamento e o saldo devedor é atualizado pela meta atuarial. A cobrança é feita com base em uma prestação fixa ao longo de todo o período. Assim como na outra forma de parcelamento, a prestação inclui um valor destinado ao fundo de quitação por morte para que, em caso de falecimento do participante, a dívida não seja passada para os demais.

À vista

O participante pode optar pelo pagamento à vista do montante referente ao PED-2015 que não foi pago em função de decisão judicial. Neste caso, o pagamento será feito de uma só vez por meio de boleto bancário a ser emitido pela Petros. Caso o valor devido seja equivalente ao de um benefício, o desconto pode ser feito diretamente na folha de pagamento. O montante que deixou de ser arrecadado será corrigido pela meta atuarial.

 

Fonte: Petros

02/03/2020

03/03/2020

 

Conforme acordado com as entidades representativas dos participantes, a Diretoria Executiva aprovou o parcelamento da cobrança do PED-2015 para aqueles que, entre 2018 e 2019, ficaram sem pagar as contribuições extras devido a decisões judiciais. A opção pelo parcelamento ficará disponível junto com a implantação do Novo PED, o que deverá ocorrer após a aprovação das patrocinadoras, Sest e Previc

Para minimizar o impacto da cobrança, os participantes poderão escolher como quitar o valor em aberto: parcelamento pelo período correspondente à expectativa de vida, parcelamento pelo número de meses em que não foi feita a contribuição extra multiplicado por até dez vezes ou à vista. Assim que aprovado o Novo PED, será disponibilizado um simulador no Portal Petros para que os participantes possam verificar cada uma das opções de parcelamento do PED-2015 e fazer a sua escolha. É importante destacar que a Fundação está oferecendo mais opções de parcelamento do que o acordado com as entidades.

A opção padrão será pela expectativa de vida, que é o prazo máximo permitido para o parcelamento. Assim, quem não se manifestar sobre a forma de pagamento terá a dívida automaticamente parcelada pelo prazo máximo possível, ou seja, o número de meses calculado pela Petros como expectativa de vida do participante.

O parcelamento terá prestações fixas com valor mínimo de R$ 50 mensais e incluirá um valor que vai para um fundo de quitação por morte. O fundo funciona como um seguro, para garantir que não haja prejuízo para o plano nem para os participantes que pagaram o PED-2015 sem interrupções.

O objetivo do parcelamento é permitir que quem deixou de pagar possa escolher como prefere fazer, reduzindo o impacto deste custo sobre seu orçamento mensal. Também possibilita que todos os que não pagaram ajustem suas contas com o plano, além de não prejudicar quem sempre pagou o PED-2015.

Para saber mais sobre as formas de parcelamento, clique aqui

 

Fonte: Petros

02/02/2020

24/02/2020

Demonstrativo está disponível no Portal Meu INSS.
Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já podem acessar o extrato para Imposto de Renda – ano-base 2019.

O demonstrativo está disponível no Portal Meu INSS, com login e senha. Caso seja o primeiro acesso, é necessário fornecer os dados solicitados na área de login e fazer o cadastro, criando uma senha com, no mínimo, com nove caracteres, pelo menos uma letra maiúscula e um número. Ao acessar o sistema com a senha, basta escolher a opção Extrato para Imposto de Renda, do lado esquerdo da página, e emitir o documento.

É possível ainda retirar o extrato nas agências do INSS, com agendamento prévio. Para isso, é necessário acessar o Meu INSS, informar os dados pessoais na área de login, clicar em “não sou um robô” e depois em “continuar sem login”. Em seguida, clicar em Novo Requerimento e digitar a palavra extrato no campo de pesquisa para selecionar o serviço desejado. Compareça à unidade do INSS indicada no Meu INSS, no dia e hora marcados, com os documentos necessários.

Para mais conforto aos cidadãos, o INSS recomenda que a obtenção do extrato seja feita pela internet. Também é possível fazer o agendamento pelo telefone 135.

Fonte: Ag. Brasil (19/02/2020)

Notícias Anteriores


ASTAPE-BA - ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA PETROBRAS DA BAHIA.