NOTÍCIAS 

 

02/05/2020 

 

Devido à pandemia do coronavírus, aposentados e pensionistas que recebem o benefício do INSS pela Petros terão a segunda parcela do 13º da Previdência Social creditada no próximo dia 25 de maio. Este pagamento está sendo antecipado em alguns dias pela Petros, já que o crédito do governo será feito até o dia 5 de junho.

No próximo dia 25, também será paga a segunda parcela do 13º do benefício Petros a aposentados e pensionistas dos planos de benefício definido — PPSP-R, PPSP-NR, PPSP-R Pré-70, PPSP-NR Pré-70, Petros Lanxess, Petros Nitriflex/Lanxess e Petros Ultrafértil. Pelo regulamento de cada um desses planos, o pagamento da segunda parcela do abono deve ocorrer juntamente com o do INSS. Todos os participantes dos planos BD já receberam a primeira parcela.

A Petros divulgou também seus canais de relacionamento para esclarecimentos. Quem tiver dúvida pode acessar o chat online, via portal ou aplicativo, enviar mensagem para o "Fale conosco" ou entrar em contato com a Central de Relacionamento (0800 025 35 45 ou 21 3529-5550, para ligações de celular).

 

30/04/2020

Rio de Janeiro, 29 de abril de 2020 – A Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que seu Conselho de Administração aprovou um novo modelo de gestão para a AMS – Assistência Multidisciplinar de Saúde, por meio da criação de uma associação civil, sem fins lucrativos, mantendo a modalidade de autogestão. A alteração do modelo visa dar maior segurança empresarial com tecnologia, governança e compliance, por meio de uma gestão profissional e com expertise em saúde suplementar, possibilitando a melhoria da qualidade dos serviços e do atendimento aos beneficiários, bem como a maior transparência na sua administração, eficiência de custos e segregação de riscos. Cabe destacar que não haverá alteração do benefício ou da sua abrangência com a transferência para o novo modelo de gestão. Atualmente, a gestão da AMS é realizada pela área de Recursos Humanos da própria companhia – modalidade de autogestão por RH - e baseada em princípios de autossustentabilidade. Neste modelo não há, por parte da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), exigências patrimoniais, uma vez que a gestão do benefício é interna, enquanto no modelo de autogestão por operador – no caso, uma associação civil - será necessária a constituição de garantias de acordo com as normas da referida Agência. A companhia avaliará, dentro da estruturação do plano de transição e implementação do novo modelo, as possibilidades de otimizar a realização dos aportes e garantias exigidas pela regulação para o adequado planejamento deste custo. A companhia buscará um valor presente do potencial de economia em 10 anos de pelo menos R$ 6,2 bilhões. A obrigação de remensurar o passivo pós emprego nas demonstrações financeiras das patrocinadoras, anualmente, permanecerá no novo modelo de gestão aprovado, conforme as regras CVM 695/12 (CPC 33R1). Com a decisão do Conselho, a companhia vai estruturar o plano de implantação e transição pelos próximos meses para uma nova aprovação interna na Petrobras. A Petrobras reforça o seu compromisso com a transparência e o respeito a todos os seus empregados.

Fonte: Petrobras

29/04/2020

Notícias Anteriores


ASTAPE-BA - ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA PETROBRAS DA BAHIA.