NOTÍCIAS 

 

06/09/2020

Convocado pela FENASPE, o Fórum Baiano em Defesa da Petrobrás e da Petros, que reúne entidades da categoria petroleira na Bahia (ASTAPE, AEPET-BA, ABRASPET e clubes dos empregados da PETROBRÁS), reuniu-se, no dia 26/08 para debater a última contraproposta apresentada pela PETROBRAS para o ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) com vigência de dois anos (2020-2022). O Fórum decidiu se manifestar contrário à contraproposta, defendendo sua rejeição.
A FENASPE, representando as entidades pertencentes ao Fórum, baseada em evidências e cálculos, percebe que a proposta da empresa é absolutamente nociva para toda a categoria petroleira, principalmente, para os aposentados e pensionistas que ganham menos e com idade mais avançada.
Por isso, a FENASPE recomenda a todas as associações filiadas que orientem os associados para que, nas assembleias sindicais, votem contra a contraproposta da Petrobrás para o ACT. Pede, ainda, a cada um dos aposentados e pensionistas que participem ativamente das assembleias convocadas pelo SINDIPETRO-BA e, se não houver avanços para os trabalhadores, votem contra todas as indicações favoráveis à atual direção da PETROBRÁS.
Neste momento de luta em defesa da PETROBRÁS, como empresa indutora do desenvolvimento socioeconômico e cultural de todas as regiões do Brasil, e dos direitos dos aposentados, a ter uma aposentadoria digna a que fez jus por uma vida inteira dedicada à PETROBRÁS, não devemos aceitar a contraproposta de ACT apresentada pela empresa.
Os ataques da empresa ao fundo de pensão PETROS e à AMS determinam a urgência de todas as entidades que representam os trabalhadores e trabalhadoras ativos, aposentados e pensionistas da PETROBRÁS em rejeitarem a contraproposta do ACT porque sabemos que ela visa facilitar a privatização da PETROBRÁS. Na AMS, a criação de uma associação vai reduzir a participação e responsabilidade da PETROBRÁS como patrocinadora, pois com uma administração independente, a empresa destinará um orçamento insuficiente, piorando a qualidade do plano de saúde com graves consequências para os beneficiários.
O aumento absurdo da AMS, nos próximos anos, provocará a exclusão de milhares de aposentados e pensionistas que não terão como bancar os elevados custos da assistência médica, perdendo o maior direito da categoria, que nunca foi gratuito, mas duramente conquistado.
Além disso, a manutenção do custeio 30% x 70% é necessária para garantir o acesso à saúde de milhares de trabalhadores e trabalhadoras, principalmente neste momento interminável de pandemia e isolamento social e mais ainda, para os aposentados e pensionistas, que no auge da velhice, precisam de uma assistência médica de qualidade e a custos compatíveis com sua renda.
Precisamos manter a unidade das entidades que, efetivamente, defendem os direitos de seus associados e conhecem os impactos para a categoria se a contraproposta da empresa, que onera absurdamente a AMS, for aprovada. Assim como nos manifestamos contrários ao PP-3 que a empresa quer impor aos participantes e assistidos.
Diga não! Participe das assembleias de suas entidades sindicais, votem a fim de impedir que tirem seu direito à AMS.

VOCÊS TÊM DIREITO A UMA VELHICE COM RESPEITO, SAÚDE E DIGNIDADE


Mário Eugênio da Silva - Presidente da FENASPE

 

03/09/2020

 

O Conselho Deliberativo da Petros aprovou hoje (2/9) a criação do PP-3, iniciativa proposta como mais uma opção previdenciária exclusiva para os participantes do PPSP-R e do PPSP-NR da Petrobras.

O PP-3 ainda depende da aprovação do Conselho de Administração da Petrobras, da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) e da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Somente após todas essas aprovações é que o PP-3 será ofertado para migração voluntária aos participantes do PPSP-R e do PPSP-NR.

Além disso, antes de ser efetivamente criado, o novo plano também passará por um estudo de viabilidade técnica e administrativa, que só poderá ser concluído após o encerramento do período de opção pela migração e da definição da massa de participantes que terá optado pelo PP-3. A análise é necessária para confirmar a viabilidade do plano. Caso isso não ocorra, os participantes que tiverem optado pela migração seguirão no plano de origem.

O PP-3 já havia sido apresentado à Previc, que solicitou uma série de mudanças no escopo do plano. A proposta de regulamento aprovada hoje levou em consideração todas as ponderações da Previc. Clique aqui para acessar, na Área do Participante, a proposta de regulamento.

Saiba mais no hotsite
Para que os participantes possam conhecer a fundo o PP-3 e esclarecer as principais dúvidas, a Petros criou um hotsite sobre o novo plano, que conta com uma lista de perguntas e respostas com quase cem questões, muitas delas apresentadas por participantes. Clique para acessar o hotsite. Além disso, em breve, a Petros fará uma live exclusiva sobre o PP-3 para os participantes.


O novo ambiente digital, que será atualizado conforme as etapas de aprovação do PP-3, está organizado em seis diferentes áreas. Em “Conheça o PP-3”, estão as principais informações sobre o novo plano. “Compare os planos” mostra as principais diferenças entre o PP-3, o PPSP-R e o PPSP-NR. “Quanto vou pagar e receber” explica as opções de contribuição e de recebimento de renda. “Tributação” destaca as diferenças entre os regimes progressivo e regressivo de Imposto de Renda. “Como migrar” detalha alguns dos requisitos para a migração. Em “Perguntas e respostas”, as questões estão organizadas em oito diferentes temas.

É importante ressaltar que as informações contidas no hotsite se baseiam na proposta que está em tramitação. Como o plano ainda depende da aprovação da Previc, pode haver mudanças nas condições e nos detalhes apresentados, levando a atualizações do conteúdo do hotsite. O formato final do novo plano será amplamente divulgado aos participantes antes da abertura do processo de migração para o PP-3.

 

Fonte: Petros

02/09/2020


A diretoria do Esporte, Lazer e Turismo preparou um vídeo para recordar os momentos maravilhosos que passamos juntos. Veja o vídeo para lembrar a nossa confraternização:

 

 

 

 

 

 

Aos aposentados, pensionistas e associados da ASTAPE-BA

 02/09/2020

 

A pandemia da COVID-19, que já matou mais de cinco mil pessoas na Bahia, provocou a suspensão de todas as nossas atividades presenciais. As autoridades decretaram isolamento social para evitar conglomerações e a proliferação do contágio pelo vírus. Como diretores da ASTAPE-BA e associados estão no grupo de risco, de imediato aderimos aos decretos governamentais e, desde março, reduzimos o atendimento presencial e começamos a atender as demandas de forma virtual, auxiliados por nossos funcionários.

A diretoria de Esporte, Lazer e Turismo suspendeu também todas as atividades programadas para ocorrer nestes últimos meses. Ainda não sabemos até quando vai durar a quarentena, pois dependemos das decisões da Prefeitura e do Governo do Estado.

Foi assim com o projeto INTEGRAÇÃO, que possibilitou desfrutar de um dia de lazer a muitos aposentados e pensionistas das subsedes, no CEPE Salvador, em Stella Maris. Com toda segurança e conforto, associados que nunca tinham saído de suas cidades tiveram a possibilidade de usufruir dos equipamentos e da infraestrutura oferecida pelo CEPE e compartilhar momentos de alegria com amigos e antigos colegas de trabalho. Para isso, contamos com a parceria do CEPE Salvador, dos grupos de Esporte, parceiros nossos, do Quarta-Feira Social Clube e Shalom Turismo.

Para a diretoria da ASTAPE-BA, o projeto INTEGRAÇÃO foi bem sucedido nos seus objetivos.  

Infelizmente, com a pandemia, a continuidade do INTEGRAÇÃO precisou ser adiada, assim como o restante da programação da nossa diretoria. Mas, o INTEGRAÇÃO, é uma chama viva que continua brilhando e jamais se apagará. Agora, o mais importante é a saúde. O coronavírus é muito contagioso e perigoso. Precisamos seguir os protocolos e as medidas de prevenção à saúde divulgados pelas autoridades sanitárias, e evitar a infecção por Covid-19. Mais adiante, depois que liberar o estado de calamidade pública, seguiremos os protocolos e nos encontraremos novamente para reviver os momentos de alegria, reencontrando os antigos colegas de trabalho, praticando o nosso bate papo e jogando conversa fora.

 

Mario Eugênio da Silva - Presidente da Astape-Bahia

 

 

Por agora, vamos rememorar os momentos de alegria que passamos juntos em tantas atividades organizadas pela ASTAPE-BA:

 

  

FOTOS

 

Projeto Integração - Subsede Alagoinhas

    

   

 

 

 

Projeto Integração - Subsede Feira de Santana

 

  

    

    

 

 

 

Dias das Mães

     

 

 

 

São João 

  

     

    

     

 

 

DIA DOS PAIS

 

 

      

 

 

 

 

 

  

 

24/08/2020

 

Em reunião com a Petrobrás no dia 27/07, a Comissão da AMS fez uma série de cobranças à direção da Petrobrás, contextualizamos os problemas que estão ocorrendo nos descontos d@s aposentad@s e pensionistas nos seus contracheques, como a ausência de desconto, mesmo havendo margem consignável; imposição de desconto em boleto para os nov@s aposentad@s, nas suas rescisões trabalhistas; postergação da implantação do desconto em folha para os assistidos do PP2 e descumprimento de decisões judiciais (específico para @s pensionistas).

Pressionada pelas inúmeras ações vitoriosas de diversos Sindipetros (o Sindipetro Bahia, por exemplo, tem decisão judicial, em sentença de mérito que obriga a efetuação do desconto da AMS em contracheque) e também pelo fato da Medida Provisória que previa o fim do convênio do INSS com os fundos de pensão ter caducado. A MP convertida em lei, aprovada na Câmara e Senado acabou garantindo a continuidade dos Convênios.

Portanto, nessa reunião com a comissão da AMS, a direção da estatal informou que a implantação do boleto bancário está suspensa. A comissão mostrou à direção da Petrobrás cópias de contracheques de muitos beneficiários sem o devido desconto da AMS, como determina as decisões judiciais. A gestão da estatal admitiu que “alguns erros podem estra acontecendo” e, após cobrança da comissão para essas situações fossem regularizadas, a gestão da estatal se comprometeu a checar, identificar os casos e solucioná-los o mais rápido possível. Também prometeu que não haverá suspensão de atendimento médico, devido ao não pagamento da AMS, para os beneficiários e seus dependentes.

Os valores que não foram pagos agora, por causa de erros da Petrobrás, serão cobrados posteriormente dentro da margem consignável.

A FUP e o Sindipetro Bahia estão acompanhando de perto esse processo e continuarão alertas, cobrando que essa situação seja resolvida de forma urgente.

 

Fonte- Sindipetro Bahia

ASTAPE-BA - ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA PETROBRAS DA BAHIA.