NOTÍCIAS 

 

05/05/2021

Em função da pandemia do coronavírus, o governo adiantou o pagamento do abono do INSS para maio e junho. Quem recebe o benefício da Previdência Social pela Petros terá a primeira parcela creditada pela Fundação no dia 25 de maio. Já a segunda parcela do 13º benefício do INSS será paga em 25 de junho. Devido a essa decisão, a Petros também antecipará para maio e junho o pagamento do abono referente à suplementação de aposentados e pensionistas de todos os planos de benefício definido.

Aposentados e pensionistas dos quatro planos Petros do Sistema Petrobras (PPSP-R, PPSP-NR, PPSP-R Pré-70 e PPSP-NR Pré-70) que optaram por não receber a primeira parcela do 13º benefício da suplementação Petros em fevereiro terão esse valor creditado pela Fundação no dia 25 de maio, como previsto em regulamento, juntamente com o INSS. Já a segunda parcela do 13º benefício da Petros será recebida por todos os aposentados e pensionistas desses quatro planos em 25 de junho, pois, também conforme regulamento, o pagamento deve ser realizado junto com o da Previdência Social.

Aposentados e pensionistas dos demais planos de benefício definido — Petros Lanxess, Petros Nitriflex/Lanxess e Petros Ultrafértil — também vão receber a primeira parcela do 13º benefício Petros no dia 25 de maio, pois o pagamento deve ocorrer juntamente com o do INSS, conforme definido em regulamento. Já a segunda parcela será paga aos assistidos desses três planos em 25 de junho.

Pessoas que recebem pensão judicial de assistidos desses sete planos terão a primeira parcela do abono do INSS e/ou da Petros creditada em 25 de maio e a segunda, em 25 de junho.

Em caso de dúvidas, basta acessar o chat online, via portal ou aplicativo, ou enviar mensagem para o "Fale conosco". Se preferir, entre em contato com a Central de Relacionamento (0800 025 35 45 ou 21 3529-5550, para ligações de celular), das 8h às 20h, de segunda a sexta-feira.

 

Fonte: Petros

Hoje é o Dia do Trabalhador. O 1º de Maio é uma data que exige reflexão de todos os trabalhadores brasileiros. Os últimos anos têm sido muito difíceis para os trabalhadores que acumulam perdas significativas nos direitos desde a aprovação das reformas trabalhista e previdenciária. Com isso, o governo enterrou de vez a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT)


A crise econômica, agravada pela pandemia da Covid-19, trouxe mais desemprego. Segundo o IBGE, já são 14,4 milhões de brasileiros sem trabalho e a taxa de informalidade está em 39,6% da população ocupada, ou seja, 34 milhões de trabalhadores informais. É possível que a situação se agrave ainda mais.
Os trabalhadores petroleiros também estão enfrentando sérias dificuldades e não têm nada a comemorar neste 1º de Maio. Sem reajuste salarial, há um bom tempo, os petroleiros estão ficando cada vez mais pobres e enfrentam sérias dificuldades para sobreviver.


As medidas adotadas pela Petrobrás, altamente prejudiciais, atingem, principalmente, os trabalhadores com menor renda e mais idade. Os descontos abusivos do plano de saúde e equacionamentos reduziram a renda do petroleiro e hoje está com dificuldades até para se alimentar e honrar seus compromissos como água, luz, aluguel, etc.
As alterações no regulamento do plano de saúde foram realizadas em meio à pandemia, quando mais os trabalhadores ativos, aposentados e pensionistas precisam do Benefício Farmácia e do próprio plano. O que acontece hoje com os aposentados e pensionistas é extremamente grave e ameaça a sobrevivência dessas pessoas e seus dependentes.
Reiteramos que não temos nada a comemorar, neste 1º de maio. Devemos, sim, resistir. Os petroleiros devem manter acesa a chama da resistência para se opor a tudo isso que está acontecendo.


Os trabalhadores petroleiros precisam continuar unidos. Por isso, mesmo sem ter o que comemorar, a ASTAPE-BA conclama seus associados para defender a vida, a Petros, a Saúde Petrobrás (antiga AMS) e tudo mais que está sendo tirado de nós. Precisamos defender também a Petrobrás pública que é e vetor de desenvolvimento nacional.
E não podemos deixar de manifestar também a nossa solidariedade e respeito a todas as famílias enlutadas porque perderam entes queridos para a Covid-19.

09-03-2021

 

Devido ao aumento do número de mortos e infectados pelo coronavírus na Bahia, o governo decidiu prorrogar as medidas restritivas para as atividades consideradas não essenciais até segunda-feira 15 de março, em Salvador e Região metropolitana. O decreto do governo foi publicado no Diário Oficial, no domingo.


Por conta disso, o atendimento presencial na sede e subsedes da ASTAPE-BA está suspenso a partir desta terça-feira (09/03).
Entretanto, tendo em vista a abertura do prazo da declaração do Imposto de Renda, decidimos iniciar um plantão para receber os documentos dos associados e associadas. Consideramos esse serviço essencial, e continuaremos a oferecê-lo gratuitamente, aos nossos associados (as).


Funcionamento do plantão


De segunda a sexta-feira, um funcionário vai receber, exclusivamente, os documentos necessários para a declaração do Imposto de Renda, na portaria da sede, na Rua Boulevard América, 57, Jardim Baiano, em Salvador. O telefone da portaria é (71) 3496-2100
Cabe ressaltar que, no plantão, iremos respeitar todas as medidas de prevenção à Covid-19.


Reiteramos aos nossos associados e associadas para que se protejam, fiquem em casa e sigam todas as medidas de prevenção à doença.


Diretoria da ASTAPE-BA

 

 

ASTAPE-BA - ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA PETROBRAS DA BAHIA.