NOTÍCIAS 

 

24/06/2020

 

A Petros esclarece que, neste processo de parcelamento do PED-2015, não envia boleto para a residência dos seus participantes. 

O boleto para pagamento à vista é gerado pelo próprio participante dentro do sistema do parcelamento. 

Em caso de dúvidas, ligue para a Central de Relacionamento (0800 025 35 45 ou 21 3529-5550, para ligações de celular). O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.

 

Fonte: Petros 

23/06/2020

 

Prezados  companheiros, desde o dia 15/06/2020, quando a PETROS liberou o simulador para cálculo do pagamento das parcelas não quitadas para quem deixou de pagá-las por força da liminar da justiça as parcelas do PED, oferecendo a opção para você decidir em quitar a vista, iniciar de imediato ou começar em janeiro de 2021, essa opção gera um comprometimento pessoal. Ao optar por uma posição indicada pela Petros, você assume um compromisso do qual não pode mais desistir, a não ser para mudar para pagamento a vista. Então, como nós, integrantes  da Fenaspe e de outras  entidades envolvidas no Fórum do grupo de trabalho, não assinamos o termo de compromisso do NPP, não iremos indicar opção nenhuma, deixaremos a PETROS arbitrar a seu modo.

 

Presidente da Fenaspe | Astape-Bahia

 

 

20/06/2020

A AMS Petrobras suspenderá, provisoriamente, as mudanças na forma de cobrança da AMS que estavam previstas para acontecer em julho (segunda onda), conforme matéria publicada em 15 de abril. Quanto aos pensionistas da primeira onda abrangidos pelas liminares, as cobranças retornaram ao desconto em folha, conforme comunicados divulgados anteriormente.


Lembramos que a mudança na forma de cobrança encontra-se sub judice e a extensão da suspensão à segunda onda é uma decorrência do cumprimento de liminares deferidas pela Justiça do Trabalho. A Petrobras prosseguirá defendendo a licitude da mudança, que é prevista em Regulamento.


Para os beneficiários que já pagavam por boleto bancário anteriormente às mudanças anunciadas em abril, e portanto não abrangidos pela discussão judicial, o pagamento continua sendo realizado da mesma forma.


A AMS Petrobras reforça que o pagamento por boleto bancário proporciona mais agilidade ao processo de reembolso, que é creditado diretamente na conta corrente cadastrada. Para quem permanece com o pagamento da AMS via boleto, manteremos o envio por correio e e-mail, além de ficarem disponíveis na área restrita do Portal AMS (acesso com login e senha). Caso ainda não tenha o acesso, basta clicar na opção “cadastre-se”, na parte superior da página e realizar o loginAcesse aqui o passo a passo para realizar o cadastro ou recadastramento no Portal AMS, em caso de esquecimento da senha.

 

Mantenha seus dados cadastrais atualizados nos portais Petros e AMS

 Fonte: Petros

18/06/2020

20/06/2020

 

Uma associação de alta produtividade, com baixo custo de operação, focada na gestão do plano de saúde. Assim o gerente geral de Desenho Organizacional da área de Recursos Humanos da Petrobras, Felipe Tokar Dubus, define a entidade sem fins lucrativos que assumirá o novo modelo de gestão da AMS Petrobras. Há 16 anos na companhia, o engenheiro de produção conduz, na equipe de transição, a criação da estrutura organizacional e dos processos da nova entidade, além de estabelecer suas interfaces com a Petrobras. Nesta entrevista, ele conta que o momento é de estruturação do desenho organizacional da nova associação, que contará com órgãos próprios de governança, incluindo instâncias participativas, como Assembleia, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal. “A gestão transparente, com forte controle e organização, é o nosso foco para entregar os melhores resultados para beneficiários e para a rede credenciada”, garante.


Como é realizado o trabalho da equipe de transição?


O trabalho é desenvolvido a partir do entendimento da situação atual dos processos e responsabilidades da AMS Petrobras e do futuro que desejamos construir, com base em pesquisas de referenciais externos e melhores práticas de mercado. Os profissionais da AMS Petrobras têm nos ajudado bastante no entendimento pormenorizado dos processos vigentes e na antecipação dos desafios que poderemos enfrentar. Nossa atuação também é em estreita parceria com os setores Jurídico e de Governança da companhia, para que todos os aspectos relacionados ao novo modelo de gestão sejam cobertos tecnicamente e possam contribuir com o resultado final: uma associação de alta produtividade, baixo custo, eficiente, focada na gestão do benefício, com elevados níveis de qualidade de entrega.


Quais as fases do processo de transição para o novo modelo de gestão?


O momento é de estruturação do modelo de governança da nova associação. Estamos estudando todos os processos necessários para o pleno funcionamento da entidade, considerando as obrigações legais e os referenciais externos, por meio da experiência de outras instituições semelhantes. É necessário cobrir todas as atividades que estarão sob responsabilidade da associação e entender a carga de trabalho que cada frente de atuação demandará. Nossa expectativa é concluir essa estrutura até agosto e, com a aprovação do grupo multidisciplinar, dar prosseguimento ao processo decisório e às demais etapas para criação da associação.


Como será o desenho organizacional da nova associação?

O organograma completo ainda não está definido. Além das áreas operacionais tradicionais em um plano de saúde - parte administrativa e financeira, processos técnicos de saúde, normas regulatórias, instrumentos de controle e acompanhamento da rede credenciada – estão previstas instâncias participativas, como Assembleia, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal. A associação contará com órgãos próprios de governança e com controles internos específicos de operadoras de planos de saúde, por exemplo, para o desenho e o acompanhamento de riscos. Tudo isso produzirá um sistema de integridade mais robusto. A nova estrutura também aliviará a gestão interna da Petrobras, evitando que a companhia – especializada na indústria de óleo, gás e energia - precise se dedicar a uma outra área de atuação, a saúde suplementar. A gestão transparente, com forte controle e organização, é o nosso foco para entregar os melhores resultados para beneficiários e para a rede credenciada.


Quais os avanços da nova proposta em relação à estrutura atual da AMS?


O novo modelo favorecerá a gestão do benefício, a agilidade na resposta a demandas dos beneficiários e da rede credenciada, o controle de abusos e fraudes, a transparência, a redução de custos. Esses avanços são viáveis porque trabalharemos com uma estrutura profissional dedicada à gestão do plano de saúde e, ao mesmo tempo, mais enxuta e focada. Para isso, associação será integralmente dedicada à gestão do benefício e contará com profissionais com competências da área de saúde suplementar.

 

15/06/2020

18/06/2020

 

A Petros conseguiu reverter na Justiça do Rio de Janeiro decisões que haviam suspendido a cobrança retroativa de parcelas não pagas do PED-2015 do PPSP-R e PPSP-NR para sete participantes, em duas ações movidas recentemente por escritório de advocacia contra este pagamento. Essas decisões reforçam o entendimento de que a cobrança retroativa das contribuições extraordinárias do PED-2015 está respaldada na decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de setembro do ano passado.

Em uma das decisões, em 10/6, a juíza Daniela Bandeira de Freitas, da 15º Vara Cível do Rio de Janeiro, a mesma que havia analisado a petição dos autores e suspendido a cobrança, exerceu o chamado juízo de retratação, reconsiderando sua decisão, após analisar recurso da Petros. A outra decisão favorável à Petros ocorreu em segunda instância, em 16/6. A desembargadora Odete Knaack de Souza, da 22ª Câmara Cível da Justiça do Rio de Janeiro, acolheu os argumentos da Petros ao analisar agravo de instrumento, suspendendo os efeitos da decisão de primeira instância e, assim, restabelecendo a cobrança retroativa.

Em ambos os despachos, foi destacado o efeito da decisão do ministro João Otávio de Noronha, do STJ, em setembro de 2019, que suspendeu as liminares que impediam os descontos, restabelecendo integralmente as contribuições extraordinárias para o PED-2015. “Vejo presente o requisito de verossimilhança da alegação e constato o perigo do dano irreparável ou de difícil reparação consistente no equilíbrio financeiro e atuarial do fundo de previdência complementar de âmbito nacional”, escreveu a desembargadora da 22ª Câmara Cível da Justiça do Rio ao conceder o efeito suspensivo.

É importante ressaltar que o equacionamento atende a uma determinação legal, sendo fundamental para a sustentabilidade e liquidez dos planos. Vale lembrar ainda que a Petros vem buscando formas de amenizar o impacto do PED-2015 na vida dos participantes, por meio de alternativas que incluem redução das alíquotas de contribuição extra, com a implementação do novo modelo de equacionamento, e formas de pagamento dos valores retroativos do PED-2015, medidas acordadas com as entidades representativas dos participantes.

 

Fonte: Petros

18/06/2020

Notícias Anteriores


ASTAPE-BA - ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA PETROBRAS DA BAHIA.